15 de jan de 2012

Desabafo sobre o caso da "PROTETRORA" assassina e cruel...

Há 21 anos atrás saí do paraíso, travessa da Av. Paulista para um bairro pobre de Osasco, foi quando me casei e fomos começar nossa vida onde tínhamos condições de viver. Chegando lá percebemos a quantidade absurda de cães e gatos abandonados, mau tratados, famintos, doentes. Timidamente começamos a ajudá-los sem nenhum rótulo, mérito, ao contrário, com o tempo passamos a ser conhecidos DENTRO e fora de nossa família, como os “loucos”. Mas quanto mais fazíamos, mesmo enfrentando muitas dificuldades, cada anjo ajudado iluminava nossos corações, me completava. Porém era muito pouco o que fazíamos, chegamos a cuidar de 17 gatos e 19 cães em um terreno de área livre, além das dezenas cães andarilhos ou comunitários (que são cuidados por alguns comércios, mas não tem casa) que alimentávamos diariamente, vacinávamos anualmente e com o tempo e conhecimento, castrávamos. Muitos morreram, muitos ganharam lares, a vida nas ruas é cruel...

Fomos conhecendo e ajudando várias ONGs da maneira que podíamos com nosso trabalho (criação de sites, logos etc), voluntariando, ajuda nas feiras de adoções e bazares e etc. Ganhamos conhecimento e experiências que hoje, valem ouro. Sempre tivemos sorte, uma luz e facilidade nas doações dos animais, conhecemos quase todas instituições e protetoras nestes anos, cada uma tem seu método, sua maneira, sua verdade.

Me decepcionei, muitas pessoas com uma revolta e dureza difícil de agüentar, muitas sugeriam o sacrifício facilmente para cães doentes ou agressivos, muitas acumulavam cães por acreditar que ninguém trataria tão bem quanto elas,. O pior foi um protetor a quem eu prestada todo meu respeito e pena pois era muito pobre, “resgatava” muitos cães por morar em bairro pobre, ganhava a castração da veterinária e ajuda de todos, até que depois de anos descobrimos que ele recebia os animais e dinheiro das pessoas para castrar, dizia que doaria ou ficaria com eles, castrava e abandonava imediatamente no lixão de Barueri, quando ainda deveriam tomar medicamentos e depois tiirar os pontos... O que é mais cruel a assassina ou abandoná-los em lugar imundo, sem chance de adoção, condenado a uma vida miserável???



Foi um baque que jamais esqueci. Então há 7 anos atrás tivemos a oportunidade de começar o petfeliz por um acaso. Nosso jogo, nossa maneira de fazer, nossas regras , nossa energia. Por isto hoje me sinto desconfortável quando me perguntam sobre o trabalho de outras ONGs ou protetoras independentes, não gosto de criticar pois todas tem suas dificuldades, sei o quanto é difícil ás vezes, mas respondo por mim, sei o que faço, sei como ajo, na transparência, sem sacrifício afinal, não somos CCZ certo?

Já doamos cães cegos, depois de extraído os tumores, com tique seqüelas de cinomose, com um pedaço da boca faltando, idoso, sem pata, que teve o pênis extraído enfim, sempre tem uma pessoa do bem para nos ajudar nesta missão, não acumulamos cães, não temos abrigo, 100% dos animais resgatados têm uma segunda chance na vida, ganha um lar, uma família ou em raros casos, um descanso mais digno e o alívio da dor, amor e tratamento digno (naturalmente).


Então conheça muito bem a pessoa ou instituição, acompanhe o site, visite o abrigo, se envolva mais antes de ajudar. Proteção animal para alguns virou negócio perdendo o foco do bem estar animal. No caso da “protetora” assassina (que matou milhares de cães nestes anos), as pessoas resolviam seus “problemas” simplesmente largando seus cães, ou resgatados lá sem saber como seria. Responsabilidade, lidamos com a vida e o que me move a perder noites de sono, abrir mão do meu sossego e lazer, e todo tramite que envolve um resgate de animais é só uma palavra, AMOR!!!!!!! Com revolta e tristeza pelas vidas perdidas, me despeço... Obrigada aos que apóiam nosso projeto, alguns há anos!!! www.petfeliz.com.br.
Postar um comentário